Home


CV Lattes

Pós-Doutorado

Instituição: University of Birmingham, Reino Unido
Período: de abril a julho de 2015
Título do Projeto: Interaction, identity and healthcare at a Brazilian gender identity clinic

Doutorado

Programa de Pós-graduação Interdisciplinar de Linguística Aplicada na Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2014. Orientador: Luiz Paulo da Moita Lopes. Tese: (Des)Aprendendo a "ser": trajetórias de socialização e performances narrativas no Processo Transexualizador

Áreas de interesse

Linguística aplicada, linguística queer, antropologia linguística, sociolinguística qualitativa, feminismos e teorias queer, análise da conversa, análise crítica do discurso, linguagem gênero e sexualidade, interação médico-paciente, etnografia linguística, linguística de corpus.

Projeto de pesquisa em andamento

(Des)aprendendo a ser: trajetórias de socialização e a (meta)pragmática da (des)identificação social (2014))

Esta pesquisa objetiva entender como, numa visada foucaultiana, determinados indivíduos se tornam tipos institucionalmente reconhecíveis de sujeitos nos microdetalhes de suas interações cotidianas. Para tanto, estuda-se o Programa de Atenção Integral à Saúde Transexual (PAIST), um dos Centros de Referência no Processo Transexualizador do Sistema Único de Saúde brasileiro, onde foi realizado um trabalho de campo de cunho etnográfico de 13 meses. Discute-se como sistemas de conhecimento biomédico patologizam a transexualidade e disponibilizam certos recursos semióticos para a identificação de “transexuais verdadeiros”, solidificando, assim, um modelo metapragmático de identidade (WORTHAM, 2006). O foco analítico recai nas dinâmicas microinteracionais de trajetórias de socialização (WORTHAM, 2005) durante as quais usuários/as iniciantes no PAIST vão paulatinamente aprendendo a entextualizar (SILVERSTEIN e URBAN, 1996) o modelo de “transexual verdadeiro” em suas performances narrativas (BAUMAN e BRIGGS, 1990). Argumenta-se que esse aprendizado se dá pela organização de sequências de turnos-de-fala nas consultas e, sobretudo, pelo par adjacente pergunta-resposta nos quais profissionais de saúde repetidamente oferecem os itens semióticos para que usuários/as possam produzir narrativas que satisfaçam as imposições do Conselho Federal de Medicina para Processo Transexualizador. A pesquisa busca entender como, nos microdetalhes interacionais das consultas, os entendimentos dos/as usuários/as sobre suas subjetividades e corporalidades sãogradualmente eclipsados pelo construto diagnóstico de “transexual verdadeiro”.

Projeto ligado ao Nùcleo de Estudos sobre Discursos e Sociedades (NUDES).