Docentes


Profª Drª Adriana Carvalho Lopes

Doutorado

Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 2010. Orientador: Kanavillil Rajagopalan. Tese: “Funk-se quem quiser no batidão negro da cidade carioca” .

Áreas de interesse

Linguística aplicada e ensino; letramento crítico; nova pragmática; antropologia linguística; análise crítica de discurso.

Projeto de pesquisa em andamento

O que as juventudes aprendem fora da escola? Práticas de letramentos em intervenções culturais periféricas (2016)

Resumo:

A região da Baixada Fluminense, historicamente, foi representada por boa parte dos discursos hegemônicos como um espaço homogêneo, caracterizado como a terra do coronelismo, do banditismo, da violência e da pobreza. No entanto, apesar de ser uma das regiões mais estigmatizadas do país, esse território também é um território de potência, um lugar rico e promissor em termos de produção cultural: rodas de funk, batalhas de rima, saraus, cine-clubes, etc são parte do cotidiano desses locais e de sua juventude. Nesta pesquisa, abordaremos essas produções culturais não só como intervenções políticas nos territórios, mas principalmente como “agências de letramentos” - ou seja, nesses eventos, a juventude envolve-se com práticas de escrita e de leitura em prol de um objetivo comum. Desse modo, nosso objetivo mais amplo é compreender de que modo tais práticas são usadas, significadas e disseminadas por sua própria juventude. Cabe destacar, que a investigação dessas escritas não-escolares é fundamental para que possamos construir pedagogias mais sensíveis às formas pelas quais os/as estudantes mobilizam recursos simbólicos e materiais específicos no interior de suas comunidades; recursos que, muitas vezes, vão além das demandas de letramento exigidas pelas escolas. Apoiadas pelos pressupostos dos chamados “Novos Estudos do Letramento”, formulado por Brian Street, e situadas em um campo de estudos indisciplinar, tal qual coloca o linguista Moita Lopes, faremos uma interpretação etnográfica e linguística das práticas de letramento que constituem algumas intervenções culturais que ocorrem mensalmente na cidade de Nova Iguaçu, RJ. Como resultado esperamos contribuir não só com a valorização e a visibilidade de saberes e práticas de letramento consideradas periféricas, como também ampliar o debate sobre o letramento escolar, colocando em questão perspectivas grafocêntricas, eurocêntricas e logocêntricas, ainda tão presentes em nossos currículos.

Projeto de pesquisa ligado ao Núcleo de Estudos em Discursos e Sociedade (NUDES).