Faculty


Prof. Dr. Rogério Tilio


Doutorado

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), 2006. Orientadora: Lúcia Pacheco de Oliveira. Tese: O livro didático de inglês em uma abordagem sócio-discursiva: culturas, identidades e pós-modernidade.

Áreas de interesse

Avaliação e produção de material didático, letramento crítico, ensino de línguas e formação de professores, e a natureza socioconstrucionista da linguagem, do discurso, das identidades sociais e das culturas.

Projetos de pesquisa encerrados

Práticas identitárias no livro didático: circulação de discursos e vozes na construção do conhecimento (2011-2015)

Práticas de linguagem em diferentes áreas do conhecimento na escola pública (2012-2014)

A promoção do letramento crítico na elaboração de materiais e atividades didáticas para o ensino e aprendizagem de línguas (2012-2014)

A promoção do letramento crítico no ensino de inglês (2012-2015) O livro didático na contemporaneidade: novos e multiletramentos (2015-2019)

Projetos de pesquisa em andamento

Letramento(s), sociedade e identidades no livro didático: circulação de discursos e vozes na construção do conhecimento (2020)

Resumo: Ainda nos dias de hoje, o livro didático (símbolo representativo do material didático em geral) , ocupa papel fundamental no contexto educacional, balizando escolhas docentes de conteúdo e metodológicas. Os discursos presentes nesses livros, assim como a abordagem metodológica adotada, e a forma como o professor faz uso deste instrumento de ensino, são de grande relevância no processo de ensino e aprendizagem. Além disso, é preciso ter em mente que, no contexto atual da contemporaneidade (FRIDMAN, 2000), caracterizada por discursos altamente semiotizados, globais e liquídos (BAUMAN, 1999, 2003), o ensino deva ter o objetivo de promover a inclusão social dos alunos no mundo globalizado (SANTOS, 2000) por meio do acesso a novos conhecimentos. Entendendo o livro didático, assim como outros materiais de ensino, como importante acesso ao conhecimento – para alunos e professores – é preciso refletir sobre os discursos presentes em tais livros, que muitas vezes perpetuam ideologias hegemônicas, regulam performances identitárias e naturalizam relações de poder. Muitos desses discursos podem trazer uma visão bastante simplista, e até mesmo etnocentrista, da globalização e de contextos culturais e sociais, contribuindo para a exclusão social. O presente projeto concentra trabalhos preocupados em investigar a forma como livros e outros materiais didáticos lidam com as novas formas de aprendizagem (KALANTZIS; COPE, 2012), multiletramentos (COPE; KALANTZIS, 2000), letramento crítico (FREEBODY; MUSPRATT; LUKE), ideologias (KONDER, 2002; VOLOCHINOV, 1929), ideologias linguísticas, ideologias econômicas (WRIGHT, 2019) performances identitárias (hooks, 2014), relações de poder (FOUCAULT, 1979) e educação crítica (FREIRE, 1968). Acredita-se que as preocupações com o livro didático não são apenas metodológicas, pois seus discursos impactam diretamente na construção das identidades sociais dos alunos (quem é o aluno a quem o material didático se destina; como esse material contribui para efetivamente construir um aluno empoderado e com voz protagonista?) e na construção do mundo em que esses alunos se inserem (que ideologias atravessam os textos e atividades do livro?; que relações de poder são explicitadas?; como esse material contribui para efetivamente inserir o aluno na sociedade contemporânea de forma crítica e protagonista?).

Divulgação científica

https://sites.google.com/a/letras.ufrj.br/rogerio-tilio/